28 de out de 2010

Genética

Genética
Introdução
A palavra genética nasceu da mente de William Batson em 1907. Mas não é com ele que o estudo da genética nasceu.
Oficialmente o pai da genética é Gregor Johann Mendel (1822-84).
Curiosamente o Homem sempre trabalhou com a genética, desde o nascer da humanidade que o ser humano manipula as características dos animais que o rodeiam, mas isto de uma forma muito rudimentar.
Os primordiais agricultores sabiam que se cruzassem os seus melhores exemplares ou melhores produtores iriam obter também excelentes exemplares na seguinte geração. Mas muitas vezes o esperado não acontecia. (e é aqui que o nosso amigo Mendel entra)
Mendel era um abade Agostinho que habitava num mosteiro em Brunn, na antiga Morávia.
Mendel (1865) retirou inicialmente 3 regras no seu cruzamento de ervilhas de cheiro:
  1. Quando os progenitores diferem numa característica, os seus descendentes serão híbridos para essa característica particular. No entanto a descendência possuirá as características de um dos progenitores em vez de apresentar uma mistura das características de ambos os progenitores. Isto significa que a característica de um dos progenitores tem de ser de algum modo dominante sobre a característica do outro progenitor. Ele chamou a este fenómeno oprincipio da dominância.
  2. Quando um híbrido se reproduz, os seus gâmetas (ovulo ou espermatozóide) serão de dois tipos. Metade será portadora da característica (caracter) dominante fornecida por um dos progenitores, i outra metade será portadora do caracter recessivo fornecido pelo outro progenitor. Ele chamou a isto o principio da segregação.
  3. Quando os progenitores diferem em duas ou mais características, a ocorrência de quaisquer uma destas características na geração seguinte será independente da ocorrência de qualquer outra característica. As duas são herdadas independentemente. Assim qualquer combinação das características dos progenitores pode aparecer na descendência. Isto é chamado oprincipio da segregação independente.
O principio de dominância de Mendel

NB:
Os cromossomas são constituídos por pares de genes. Cada par de genes gere uma coisa no organismo.
Homozigótico: animal que transporta dois alelos iguais referentes a uma determinada característica.
Heterozigótico: animal que transporta dois alelos diferentes referentes a uma mesma característica.
Genótipo: genes que um ser transporta.
Fenotipo: características externas.
Não se pode definir o genótipo através do Fenotipo.
Usa se letras maiúsculas para representar um gene dominante e letras minúsculas para representar a sua ausência, para representar um gene recessivo usa se letras minúsculas e para a sua ausência um traço (-).
Um periquito possui 26 cromossomas. Mais precisamente 24 autosomas e 2 cromossomas sexuais.
O estudo da hereditariedade é normalmente usado para dois fins: a produção quantitativa ou qualitativa.
O correcto nos criadores de periquitos (e não só) será a criação qualitativa.
Geralmente quando nos referimos a mutações recessivas ou dominantes estamos a descrever o seu comportamento perante o gene selvagem (gene original, neste caso o verde).
Bem como estamos mais preocupados em perceber a genética vamos então explicar isto através de um cruzamento com dois periquitos.
Vamos pegar em duas linhagens puras (animais homozigóticos): um verde normal e um azul normal.
Assim sabemos que cada pássaro transporta duas copias iguais de cada gene.(um indivíduo transporta dois e apenas duas copias de um gene ou dos seus alelos, um herdado do pai e outro da mãe). Sabe se também que o gene azul é uma mutação do gene verde, as duas ou mais formas alternativas do gene são chamadas de alelos.
Usamos agora o símbolo "A" para representar o alelo verde i o símbolo "a" para o alelo azul.
Assim o genótipo do pássaro verde é AA i o genótipo do pássaro azul é aa.
Como os pássaros são homozigóticos então todos os gâmetas sexuais produzidos serão portadores do mesmo alelo.
Podemos mostrar o resultado do cruzamento num quadro de Punnet. Em cima temos os gâmetas do periquito azul e do lado esquerdo os gâmetas do periquito verde.
F1aa
AAaAa
AAaAa
Podemos ver que o resultado deste cruzamento são híbridos ou animais heterozigóticos para esta característica.
Agora como o gene verde é dominante sobre o gene azul então o resultado são periquitos verdes que transportam o gene azul. Diz se que o alelo azul está escondido ou que é transportado, representa se assim: verde/ azul, o símbolo / significa dividido.
Agora se esta geração fosse cruzada entre si daria:
F2Aa
AAAAa
aaAaa
Aqui está, nascem desse cruzamento periquitos verdes homozigóticos, verdes heterozigóticos (ou portadores do gene azul) e periquitos azuis, na proporção de 1:2:1.
A este ponto já deu para perceber que para uma ave apresentar um Fenótipo recessivo tem de Ter um genótipo homozigótico para esse gene recessivo.
genótipoDescrição genéticaFenótipo
AAVerdeVerde
AaVerde/azulVerde
aaAzulAzul

A estes cruzamento chamam se cruzamentos mono-hibrídos pois só temos em consideração uma característica em particular.
Vamos tentar agora um cruzamento di-hibrído .
Agora com periquitos também homozigóticos mas para duas características: um verde com o padrão nas asas normal, e um azul com o padrão nas asas cinzento. Assim o periquito verde é AACC ( sendo C referente ao alelo selvagem e dominante do padrão das asas) e o periquito azul é aacc (sendo c referente ao alelo mutante das asas cinzentas).
Então os gâmetas produzidos são:
Periquito verde: AC; AC
Periquito azul: ac; ac
F1ACAC
AcAaCcAaCc
acAaCcAaCc
Assim toda a descendência será verde com o padrão nas asas normal pois tanto a característica azul como a de asas cinzentas são características recessivas.
Agora se cruzarmos a descendência obtemos:
F2ACAcaCac
ACAACCAACcAaCCAaCc
AcAAcCAaccAacCAacc
aCaACCAACcaaCCAaCc
acaAcCAaccaacCaacc
Aki já nascem verde homozigotico de asas normais, verdes homozigoticos de asas cinzentas, azuis homozigoticos normais, azuis homozigoticos de asas cinzentas, etc...




É simples.
  1. se o Fenótipo corresponder a um gene recessivo então o pássaro é homozigotico.
  2. se o Fenótipo corresponde a um gene dominante faz se um teste de cruzamento.
teste do cruzamento realiza se entre o indivíduo dominante onde se tem a duvida e um indivíduo com o gene recessivo correspondente (pois este é obrigatoriamente homozigotico).
Assim se nascerem só fenótipos dominantes o indivíduo em questão é homozigotico, se nascer uma metade dominante e outra recessiva quer dizer que o indivíduo é heterozigótico.
Alelos múltiplos
Dá se um caso de múltiplos alelos com diferentes graus de dominância quando um gene selvagens possui mais que 1 correspondente mutante.
Abaixo mostro uma tabela com casos de alelos múltiplos por ordem decrescente de dominância:
Gene selvagemVerdeOndulação normal
Genes mutantesGoldenface
Face amarela tipo II
Face amarela tipo I
Azul
Asas cinzentas
Asas claras
Ondulação diluída
Em baixo apresento uma tabela com algumas das possíveis combinações de genes múltiplos.
genótipoDescrição genéticaFenotipo
AAVerdeVerde
AaIIVerde/ face amarelaVerde
AaVerde/ azulVerde
aIIaIIFace amarelaFace amarela
aIIaFace amarela/ azulAzul marinho
aaAzulAzul
Sabe se que o gene verde é dominante sobre todos os seus alelos.
Agora os alelos face amarela e o alelo azul são co-dominantes, ou seja, têm uma dominância incompleta.
Diz se isto pois o homozigotico face amarela tem um aspecto diferente de um heterozigótico para o mesmo gene.
Dominância incompleta
Este tipo de dominância dá se quando nenhum dos alelos consegue exercer controlo sobre o outro. Assim existe apenas dois genes, o selvagem i o mutante, mas em vez de produzirem apenas dois tipos visuais produzem três tipos visuais.
Passo a explicar com um exemplo:
O gene de escurecimento no estado selvagem n existe, produzindo assim o periquito verde claro ou o azul celeste. Mas em cativeiro foi possível activar esse gene, assim existe o periquito claro i o escuro. Ambos homozigoticos.
Mas agora se cruzarmos esses dois homozigoticos ficamos com periquitos heterozigótico. Agora seria de esperar que um desses genes fosse dominante perante o outro, aparecendo assim ou só periquitos escuros ou só periquitos claros, mas não. Aparecem periquitos com uma coloração intermédia.
Os chamados verdes escuros e os azuis cobalto.
Agora se cruzarmos esses heterozigóticos a sua descendência terá as 3 tonalidades, claros intermédios e escuros.
As mutações onde existe uma dominância incompleta são:
  • spangle ( reluzente ou perolado)
  • violeta
  • factor de escurecimento
EscurecimentoVioletaSpangle
Homo ausênciaClaro (claro, celeste)normalNormal
HeteroIntermédio (escuro, cobalto)pode ser violeta ou apresentar uma tonalidade mais escura dependendo do factor de escurecimentoSpangle
Homo presençaEscuro (azeitona, malva)violeta ou parece se com um cobalto dependendo do factor de escurecimentoClaros ( amarelos ou brancos)
No caso da dominância incompleta do gene violeta existe pouca informação e demasiada confusão.
Posteriormente será emitido um artigo sobre este caso inquietante dos violetas.
Tabela estatística de cruzamento:
DD x DD100% DD
DD x Dd50% DD
50% Dd
DD x dd100% Dd
Dd x Dd25% DD
50% Dd
25% dd
Dd x dd50% Dd
50% dd
dd x dd100% dd
Mutações:
VariedadeModo de hereditariedadeGene selvagemGene mutante
Goldenface
Face amarela II
Face amarela I
azul
Múltiplos alelos com co-dominanciaA
A
A
A
ag
aII
aI
a
Asas cinzentas
Asas claras
Asas diluídas
Múltiplos alelosC
C
C
cz
cl
cd
CinzentoDominantezZ
Malhado continental*DominantepP
Clearflight*DominantepP
Malhado dominanteDominantemM
Fallow inglêsRecessivoFf
Fallow alemãoRecessivoFAfa
Fallow japonêsRecessivoFJfj
Malhado recessivoRecessivoRr
SaddlebackRecessivoSs
BlackfaceRecessivoBFbf
EscurecimentoCo-dominantedD
VioletaCo-dominantevV
SpangleCo-dominanteglGL
Crest (cristado)DominantetT
Ino não ligado ao sexoRecessivoNn
Cinzento australianoRecessivoZRZr
Asas castanhaRecessivoBB
NB: os claros de olhos escuros são resultado do cruzamento de clearflights ou malhados recessivos continentais com malhados recessivos. É considerada uma mutação recessiva devido á presença dos malhados recessivos.
Os claros relativos á mutação spangle também são considerados recessivos pois para aparecerem têm que ser homozigóticos.
* julga se que os malhados continentais têm uma relação alelica muito próxima com os clearflights por isso são representados com alelos iguais.


Caso recessivo ligado aos cromossomas sexuais
Neste caso os genes mutantes são transportados nos cromossomas sexuais. O Z e o Y.
Ao contrario do homem e de todos os mamíferos nas aves a fêmea é representada por XY, e o macho por ZZ.
Agora apenas o gene X é capaz de transportar os genes mutantes, assim logicamente estas mutações relacionadas com os cromossomas sexuais transmitem se de uma forma recessiva nos machos mas de uma forma dominante nas fêmeas, pois estas possuem uma copia do gene mutante no cromossoma Z e como não existe informação no cromossoma Y que contrarie esse gene mutante ele surte efeito.
Exemplo:
Casais
Ninhada
MachoFêmeaMachosFêmeas
AlbinoAlbinoAlbinoAlbino
AlbinoNormalNormal/ albinoAlbino
Normal/ albinoAlbinoAlbino
Normal/ albino
Albino
Normal
NormalAlbinoNormal/ albinoNormal
Normal/ albinoNormalNormal
Normal/ albino
Albino
Normal
Mutações:
VariedadeModo de hereditariedadeGene selvagemGene mutante
Asas de canelaRecessivo ligado ao cromossoma sexualC*c*
OpalinoRecessivo ligado ao cromossoma sexualOo
Clearbody
Ino
Múltiplos alelosI*
I
i*
i
NB: a mutação lacewing é o cruzamento da mutação ino com a mutação asas de canela.
Curiosidade: as células sexuais produzem se através de um processo chamado meiose, onde células com 26 cromossomas (no caso dos periquitos) originam células com 13 cromossomas. No processo de meiose as características genéticas são rebaralhadas para produzir cromossomas com uma organização diferente, este processo ajuda na continuidade da espécie sem correrem o risco de consanguinidade.

Um estudo

Imaginemos um criador de periquitos australianos.
Este criador tem uma fêmea albina que cruzou com um macho azul malhado recessivo.
Na primeira ninhada nasceu:
1 albino de olhos sem Íris
1 albino de olhos com Íris
2 malhados recessivos de asas claras
1 fêmea azul de asas claras
ao observar a descendência dos pássaros esse criador percebeu que a fêmea tinha de ser homozigotico para asas claras (pois nascem periquitos de asa clara), e que tinha de transportar um gene malhado recessivo (para nascer os malhados recessivos), percebeu também que só isto não era suficiente para explicar os resultados, então caracterizou o macho como um malhado recessivo que transporta i gene ino e um gene asas claras.
Assim geneticamente os pássaros são:
Macho: aa -cl rr -i
Fêmea: aa clcl -r iY
Assim os gâmetas sexuais são:
Macho: a – r i
a – r –
a cl r i
a cl r –
fêmea: a cl r i
a cl - i
a cl r Y
a cl – Y
F1a – r ia – r -a cl r ia cl r -
a cl r iaa cl- rr iiaa cl- rr i-aa clcl rr iiaa clcl rr i-
a cl – iaa cl- -r iiaa cl- -r i-aa clcl –r iiaa clcl –r i-
a cl r Yaa cl- rr iYaa cl- rr –Yaa clcl rr iYaa clcl rr -Y
a cl – Yaa cl.- -r iYaa cl- -r -Yaa clcl –r iYaa clcl –r –Y
Como podem verificar os resultados são: albinos, malhados recessivos, malhados recessivos com asas claras, azuis normais e azuis de asas claras.
Identificador
Cores principais:
Verde:                             Claro;
                   Escuro;
                     Azeitona.
Azul:                               Celeste;
                    Cobalto;
                  Malva.
Cores secundarias (que afectam as principais):
CinzentoDominante
VioletaDominância incompleta
Mutações:
Mutações:Forma de hereditariedade:
  • Albinismo
  • Clearbody
Recessivo ligado ao sexo (Co dominante)
Malhado recessivoRecessivo
Malhado dominante:
  • Australiano;
  • Clearflight holandês;
  • Holandês
Dominante
Asas:
  • Asas cinzentas;
  • Asas claras;
  • Diluídos
Recessivo (Co dominante entre si)
ReluzenteDominância incompleta
Face amarela:
  • tipo I;
  • tipo II;
  • Goldenface.
Co dominante
CanelaRecessivo ligado ao sexo
OpalinoRecessivo ligado ao sexo
SaddlebackRecessivo
Fallow:
  • Inglês;
  • alemão;
  • japonês
Recessivo
BlackfaceRecessivo
Crest:
  • circular;
  • semicircular;
  • tufo;
  • japonês
Dominante
Combinações:
Arco ÍrisRecessiva
Claros de olhos escurosRecessiva
LacewingRecessiva ligada ao sexo



  • Verde:
cauda: azul escuro
Barbas: de lilás escuro a azul escuro
Peito verde (3 tonalidades- claro, escuro, azeitona), fundo das asas e cabeça amarelo, ondulações pretas.

  • Azul:
cauda: azul escuro
Barbas: de lilás escuro a azul escuro
Peito azul (3 tonalidades- celeste, cobalto, malva), fundo das asas e cabeça branco, ondulações pretas

  • Violeta:
barbas
de lilás escuro a azul escuro nas duas series
serie verde
sem efeito
serie azul
Celeste
hetero
peito ciano (entre celeste e cobalto)
cauda turquesa a escurecer para azul no fim
directrizes em turquesa florescente
Celeste
homo
peito violeta visual
cauda azul escuro a clarear para azul pálido no fim
directrizes em turquesa florescente
Cobalto
hetero
peito violeta visual
cauda violeta azulado a clarear para violeta no fim
directrizes em turquesa florescente
Cobalto
homo
peito um pouco mais escuro que violeta visual
cauda violeta azulado a clarear para violeta no fim
directrizes em turquesa florescente
Malva
Homo hetero
Intensidade violeta mais forte ambos violetas visuais

  • Cinzento:
cauda: preta
Barbas: cinzentas
Serie verde: peito verde acinzentado (verde-acinzentado), fundo das asas e cabeça amarelos, ondulações pretas.
Serie azul: peito cinzento (cinzento), fundo das asas e cabeça brancos, ondulações pretas.

  • Canela:
cauda: azul claro
Barbas: lilás escuro a azul escuro
Cor do corpo 50% mais clara, ondulações castanhas.

  • Opalino:
cauda: azul escura
Barbas: normais
A cor do corpo espalha se sobre as asas, cabeça e dorso sem manchas (formando um V), ondulações pretas.

  • Ino:
cauda: amarelo claro( serie verde), Branca (serie azul)
Barbas: cinzentas ou brancas
Olhos vermelhos, cera dos machos lilás.
Periquitos totalmente amarelos ou brancos

  • Asas cinzento (homozigotico):
cauda: cinzenta
Barbas: lilás claro a azul claro
Cor do peito mais clara que habitual, ondulações cinzentas

  • Asas cinzentas split para asas claras:
cauda: azul escura
Barbas: normais
Cor do peito normal, ondulações cinzentas

  • Asas claras:
cauda: normal
Barbas: normal
Cor do peito normal, ondulações amarelas ou brancas.

  • Diluído:
cauda: verde pastel (serie verde), azul pastel (serie azul)
Barbas azul claro pastel
Corpo claro e ondulações verdes ou azuis pastel

  • Malhado recessivo:
cauda verde ou azul pastel
Barbas: normais raiadas de branco
Malhas na base do peito, ondulações a 10 ou 20%, directrizes limpas, cera lilás no macho, olhos sem Íris.

  • Malhado dominante australiano:
cauda: azul ou branca (serie azul), azul ou amarela (serie verde), amarela, branca ou preta (serie cinzenta)
Barbas normais raiadas de branco, malhas no peito perto de externo e na base, divisão nítida

  • Malhado dominante holandês:
cauda: amarela ou branca
Barbas: normais
Clearflight: aparência de um periquito normal á excepção da ausência de ondulações nas penas primarias
Continental: semelhante ao recessivo mas olhos com Íris e cera azul nos machos

  • Reluzente ou Cintilante:
cauda amarela ou branca
Barbas: azuis, cinzentas ou azuis raiadas de cinzento
As ondulações em vez de se encontrarem no interior das penas das asas encontram-se na pontadestas
Forma homozigótica: semelhante aos inos e aos claros de olhos escuros á excepção dos olhos com Íris e da cera azul

  • Face amarela: (os heterozigóticos são split para azul)
FA tipo I:
Cauda: azul escura
Hetero: azul normal de face amarela clara
Homo: azul normal

FA tipo II:
Cauda: azul escura
Hetero: azul esverdeado com face amarela
Homo: azul normal de face amarela (aparenta um face amarela tipo I)

Goldenface:
Hetero: verde normal (cauda azul clara)
Homo: azul de face amarela escura (cauda azul escura).

  • Claros de olhos escuros:
Semelhantes a inos e a reluzentes homozigoticos, á excepção dos olhos sem Íris das barbas serem cinzentas claras ou lilás claro e da cera lilás nos machos.

  • Lacewing:
Corpo de uma só cor (amarelo ou branco), semelhantes aos ino mas com ondulações castanhas (do genero canela).

  • Fallow:
Alemão: coloração muito mais clara que nos normais (parecendo quase ausente), olhos vermelhos com Íris, cera lilás nos machos e ondulações acastanhadas
Inglês: coloração muito mais clara que nos normais (parecendo quase ausente), olhos vermelhos sem Íris, cera lilás nos machos e ondulações acastanhadas

  • Saddleback:
Cabeça e dorso com ondulações cinzentas e asas com ondulaçoes pretas, todo o resto é igual ao normal.

  • Clearbody:
Em tudo igual aos normais menos na coloração do peito,
Peito claro quase branco ou amarelo, ondulaçoes pretas.

  • Arco Íris:
Esta suposta mutação é a mistura de varias outras mutações tais como as asas claras (ou cinzentas ou diluido, mas o mais usual são as asas claras), o opalino e a face amarela tipo II (heterozigótico).




Nesta tabela pode-se ver todos os cruzamentos possíveis no que toca a malhados dominantes e a malhados recessivos.
Mostro aqui como estas mutações são transmitidas e como se relacionam entre si.
O clearflighted da tabela pode muito bem ser encarado como uma outra variante de malhado dominante, apenas o coloquei na tabela para poder fazer uma analogia com o seguinte artigo.

DEC: claro de olhos escuros (dark-eyed clear).
(fu): referente ao gene dominante, significa neste caso a existencia de um gene clearflight (ou malhado dominante doutro género) numa ave (heterozigótica).
(fd): referente ao gene dominante, significa neste caso a existencia de dois genes clearflight (ou malhado dominante doutro género) numa ave (homozigótica).
Pares
Crias
Normal x Normal
normal
Normal x clearflight (fu)
normal
clearflight (fu)
Normal x clearflight (fd)
clearflight (fu)
Normal x Normal / M recessivo
normal
normal / M recessivo
Normal x M recessivo
normal / M recessivo
Normal x clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fu)
Normal / M recessivo
Normal
Normal x clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
Normal x DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
normal / M recessivo
Normal x DEC (fd)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fu) x Clearflight (fu)
normal
clearflight (fu)
clearflight (fd)
Clearflight (fu) x clearflight (fd)
clearflight (fu)
clearflight (fd)
clearflight (fu) x Normal / M recessivo
normal
clearflight (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
normal / M recessivo
clearflight (fu) x M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo
Normal / M recessivo
clearflight (fu) x clearflight (fu) / M recessivo
normal
normal / M recessivo
clearflight (fu)
clearflight (fd)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fu) x clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fu) x DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
normal / M recessivo
clearflight (fu) x DEC (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo
normal / M recessivo
clearflight (fd) x clearflight (fd)
clearflight (fd)
clearflight (fd) x Normal / M recessivo
clearflight (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) x M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) x clearflight (fu) / M recessivo
normal
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fd) x clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fd) x DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fd) x DEC (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
Normal / M recessivo x Normal / M recessivo
normal
normal / M recessivo
M recessivo
Normal / M recessivo x M recessivo
normal / M recessivo
M recessivo
Normal / M recessivo x clearflight (fu) / M recessivo
normal
normal / M recessivo
M recessivo
DEC (fu)
clearflight (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
Normal / M recessivo x clearflight (fd) / M recessivo
DEC (fu)
clearflight (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
Normal / M recessivo x DEC (fu)
DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
Normal / M recessivo
M recessivo
Normal / M recessivo x DEC (fd)
DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
M recessivo x M recessivo
M recessivo
M recessivo x clearflight (fu) / M recessivo
DEC (fu)
M recessivo
Normal / M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo
M recessivo x clearflight (fd) / M recessivo
DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo
M recessivo x DEC (fu)
DEC (fu)
M recessivo
M recessivo x DEC (fd)
DEC (fu)
clearflight (fu) / M recessivo x clearflight (fu) / M recessivo
DEC (fd)
DEC (fu)
clearflight (fu)
clearflight (fd)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
M recessivo
Normal
Normal / M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo x clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fu)
clearflight (fd)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
DEC (fu)
DEC (fd)
clearflight (fu) / M recessivo x DEC (fu)
DEC (fu)
DEC (fd)
M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
Normal / M recessivo
clearflight (fu) / M recessivo x DEC (fd)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
DEC (fu)
DEC (fd)
clearflight (fd) / M recessivo x clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
DEC (fd)
clearflight (fd) / M recessivo x DEC (fu)
DEC (fu)
DEC (fd)
clearflight (fu) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo
clearflight (fd) / M recessivo x DEC (fd)
clearflight (fd) / M recessivo
DEC (fu) x DEC (fu)
DEC (fu)
DEC (fd)
M recessivo
DEC (fu) x DEC (fd)
DEC (fu)
DEC (fd)
DEC (fd) x DEC (fd)
DEC (fd)
<><>
Malhado recessivo

Imagens de piriquitos

Verde cinza portador de ino.


O verde cinza é um exemplar muito bonito, e neste casal, devido á mãe ser lutina e o pai cinza, fará com que os filhotes machos verdes cinzas sejam todos portadores de ino. Portador de ino siguinifica ter gen para albino e para lutino. Para lutino quando forem acasalados com verdes, e para albinos quando forem acasalados com azul.

mãe lutina epai cinza

Ar celeste fêmea




verde claro asa canela


Verde cinza portador de ino



Arlequim recessivo verde claro

normal cinza fêmea


macho normal celeste e fêmea cintilante celeste

macho normal celeste
Cintilante verde claro macho
Asa canela verde clara fêmea
Ar cinza gold macho
Ar cinza fêmea
Ar cinza fêmea


Periquito Australiano Acasalamento

Acasalamento

Periquito
Após analisar e procurar um companheiro, o periquito escolhe o par ideal para formar sua família, esse parceiro será durante toda a vida, sempre mantendo-se fiel um com o outro. O macho fica sempre perto da fêmea e espanta qualquer outro macho que estiver por perto.
Ele a alimenta durante boa parte do dia, e ela sempre aceita as carícias dele. Ao beijar a fêmea, o macho arrepia as penas da garganta e da testa para impressiona-la, dá leves bicadas em seu bico e sobe e desce a cabeça rapidamente num movimento frenético e tenta convencer a fêmea ao acasalamento.
As pupilas dos olhos do macho diminuem, tornando-se um pequeno ponto, isso revela quanto o macho está excitado.
Ele tenta por um dos pés nas costas da fêmea, mas ela sempre recusa as primeiras tentativas. Então o macho tenta se acalmar, voando de um lado para o outro, de um puleiro para outro, em seguida tenta novamente e a fêmea vai cedendo aos poucos até que concorda com o acasalamento.
Depois do primeiro acasalamento com o macho, a fêmea que irá propor os próximos acasalamentos provocando o macho com movimentos excitantes, abaixando-se no puleiro, levantando bem a cauda e a cabeça, então o macho compreende o que a fêmea está querendo e põe seus pés sobre suas costas.

Postura dos ovos

Depois de mais ou menos 2 meses após o acasalamento, a fêmea põe seu primeiro ovo. Nesse período a fêmea tem costumes de fazer suas necessidades no mesmo lugar, não se espante, é normal. As narinas da fêmea fica completamente lisa e marrom. É muito importante que haja um ninho, pois se não houver, a fêmea tem de sofrer muito para liberar o ovo no puleiro, e o mesmo será ignorado e destruído. Geralmente a fêmea põe cerca de 3 a 5, mas pode chegar de 7 a 11, então devemos colocar os ovos restantes, que passarem de 5, a outras fêmeas que estejam chocando ou livrar-se dos ovos, pois se deixar a fêmea com mais de 5 ovos, esses ou todos poderão ser chocados incorretamente. A fêmea põe 1 ovo a cada 2 dias.
OBSERVAÇÃO 1 - Muitos machos tem costume de destruir os ovos no ninho, e para que ele perca este costume deve-se colocar ovos falsos antes da postura para que o macho veja que não é possível destruí-los.
OBSERVAÇÃO 2 - Caso um ovo se quebre no ninho, a fêmea se encarrega de elimina-lo, caso não elimine você mesmo pode retirá-lo para manter o ninho limpo

Incubação

Logo que a fêmea põe seu primeiro ovo, ela já começa a chocá-lo, por isso os filhotes não nascerão no mesmo dia. A fêmea sai raramente do ninho, somente para fazer suas necessidades, ela é alimentada pelo macho, que permanece sempre por perto para vigiar, sempre alerta. Se a fêmea perceber um ruído ou algo estranho ela põe sua cabeça para fora do ninho, por isso é muito importante que o ninho esteja em um lugar seguro. Após uma semana, depois que a fêmea colocou todos os ovos, você deve inspecionar o ninho sempre para ver como a fêmea está, pois nesse período a fêmea fica debilitada. Após 18 dias de incubação, os filhotes começam a nascer.
Quanto os filhotes, o único cuidado que você deve ter é para que não caiam do ninho, conforme dito na categoria "O ninho".

Periquito Australiano ALIMENTAÇÃO

ALIMENTAÇÃO

Periquito
O principal alimento dos periquitos são sementes em geral. Também apreciam frutas e legumes. Veja mais detalhadamente: 
Sementes
Painço, alpiste, sementes de girassol, sementes de milho verde, sementes de milho vermelho, grão de aveia, eu sugiro a mistura para periquitos, encontrada facilmente em casas de rações, mas sempre prestando a atenção se não há bolor, apodrecimento das sementes, ovos ou fezes de parasitas (ratos, varejeira, etc.). Você também pode fazer a sua mistura:

1º MISTURA (1KG)

300 g de alpiste 
280 g de semente de milho alvo 
150 g de aveia sem casca 
100 g de sementes de girassol 
70 g de semente de milho vermelho 
70 g de semente de milho verde 
30 g de níger

2º MISTURA (1KG)

500 g de alpiste 
300 g de semente de milho alvo 
150 g de aveia sem casca 
50 g de sementes de girassol

3º MISTURA (1KG):

350 g de alpiste 
300 g de semente de milho alvo ou painço branco 
150 g de aveia sem casca 
100 g de sementes de girassol 
50 g de semente de milho vermelho ou painço vermelho 
50 g de semente de milho verde ou painço verde
Adicione em cada mistura farelo de pão torrado e um pouco de sal, pois contém iodo e previne muitas doenças.

PÃO TORRADO

O Pão torrado você pode servir seco ou molhado na água.
Frutas, verduras e legumes

FRUTAS

As mais comuns são: maçã, mamão e banana, apesar de não apreciarem muito frutas.
ATENÇÃO: Nunca sirva a fruta abacate, pois segundo os europeus contém uma substância altamente tóxica que pode ser fatal não só para periquitos como para qualquer outra ave doméstica, pois provoca parada respiratória após ingerido.

LEGUMES

Os principais legumes são a cenoura e a batata, que devem ser cozidos antes de serem servidos.

VERDURA

As verduras mais comuns são: almeirão, espinafre, couve, chicória, catalônia, dente-de-leão, as de cores mais escuras são as mais nutritivas, não é recomendado o alface, pois contem muito agrotóxicos, e também contem água em excesso, causando diarréia.
OBSERVAÇÃO: Não se esqueça de colocar bebedouros de água na gaiola ou viveiro.

Quanto custa a criação de periquitos Australianos?

Muitos dos criadores existentes actualmente e os novos que se querem aventurar na criação de aves fazem-no com vista a terem algum lucro fácil mas, este é também, o maior motivo para a desistência.
Hoje em dia, o periquito australiano é tratado, pela esmagadora maioria dos criadores com o maior desprezo possível, sendo considerado como que uma praga que devora montanhas de comida e que fica muito caro quando comparado com a vertente de exposição, o periquito Inglês. Este desinteresse deve-se ao facto de o periquito Australiano ser bastante bom a criar, tendo gerado uma saturação no mercado o que fez com que o seu preço comercial baixasse bastante, o que já não acontece com os periquitos Ingleses que, por serem mais difíceis de criar são mais valorizados.
Pois bem, na minha opinião, altos e baixos existem em todos os negócios e, quem se quiser aventurar pela primeira vez neste mundo da criação, o periquito Australiano deveria ser a sua primeira opção, em vez de caírem na tentação de querer começar logo a ter algum retorno significativo que, na grande maioria das vezes acaba por ser um retorno negativo pela simples razão de não se conseguir fazer com que as aves criem pelas mais diversas razões. Pois isto, regra geral, não acontece com os Australianos, pelo que eu aconselho vivamente.
Vamos então começar com as contas que vão ser necessárias para uma iniciação, tentando utilizar sempre os valores máximos, de forma a não termos surpresas no final, quando formos comprar o material. O ideal será começar com 3 casais.
Assim, admitindo que as aves custam 5€ cada, temos 30€ em aves. Podemos também optar por fazer alguns negócios com amigos que tenham periquitos, por exemplo, pedir um casal a custo zero e pagar com as primeiras crias desse casal. Na maioria dos casos, as pessoas nem vão querer nada em troca... Comigo foi assim...
As gaiolas poderão ser compradas ou de fabrico caseiro. No mínimo, deverão ter uma frente de 50cm para cada casal. No caso das normais gaiolas de compra de 50cm com divisória, teremos 15€ por gaiola, o que, somado ao custo das aves perfaz 75€ (comedouros incluídos).
Já só faltam os ninhos e a comida. Aconselho ninhos de madeira de pinho pois são mais resistentes e duradouros e podem ser adquiridos por menos de 3€. Podemos assim somar aos 75€ mais 9 € dos ninhos, ficando assim com 84€.
Em relação à comida, é aconselhável comprar logo sacos de 25Kg pois deste modo cada Kg fica mais barato. Cada saco de 25Kg de mistura são 15€, e deve chegar para pelo menos 4 a 5 meses. Não nos devemos esquecer de que vão ser necessários alguns suplementos alimentares, pelo que 5-10€ por mês serão suficientes.
Assim, contas feitas por alto para o primeiro mês e sempre pelo maior valora possível, teremos 110€ de investimento inicial. A partir daqui é apenas manutenção e, se tudo correr conforme esperado, nunca mais será necessários comprar comida... O investimento mais pesado já está feito...
Quando for à loja comprar todo o material e a comida, fale logo com o dono de forma a assegurar o escoamento da sua "produção". 
Bom, e a partir de agora, vamos começar a fazer contas mas no bom sentido - o que entra!
Para começar, devemos ter em atenção que o período de incubação dos periquitos é de 18 dias e que o crescimento da ave até à sua independência será mais de 1 mês. Além disto, não deve deixar que os periquitos criem mais de 4 ninhadas consecutivas, ou então pode optar por fazer duas ninhadas consecutivas, seguidas de 1-2 meses de descanso, isto durante todo o ano, de forma a não desgastar muito as aves...
Assim, em média, estas aves fazem posturas entre 4 a 6 ovos. Para a nossa estimativa vamos fazer as contas com a média da média, isto é, 5 crias por postura. Assim, caso as aves comecem a criar logo desde início, nos primeiros 4 meses (período para o qual a saca de comida inicial chega perfeitamente) vamos conseguir 2 ninhadas de cada casal, o que, a 5 crias por ninhada, perfaz um total de 30 crias nos primeiros 4 meses. Fazendo as contas ao mais baixo preço a que já vendi as minhas aves até hoje - 1,5€ - teríamos um retorno de 45€ mas, actualmente, estou a vendê-las no mínimo a 2 € cada, conseguindo neste caso um retorno de 60€. Destes 60€ não vamos receber tudo, uma parte é troca directa por mais um saco de comida que dará para mais 4 meses no mínimo para os 3 casais e para os suplementos e o restante é para ajudar a cobrir o investimento final - vamos pensar em 25€, 15€ para a saca de 25Kg de comida e 10€ para os suplementos. Deste modo, temos um retorno real de 35€ e temos os próximos 4-5 meses assegurados. 
A partir daqui, o ciclo repete-se indefinidamente, ou seja, em 3 rodadas semelhantes consegue-se cobrir o investimento inicial na totalidade. Pode sempre fazer alguma gestão estratégica dos momentos de criação e até ir constituindo mais um casal ou dois com as crias que vão nascendo para que, quando tiver os casais iniciais em repouso, possa ter os casais novos aptos para criar, garantindo desta forma o sustento dos casais que estão em repouso. 
ATENÇÃO: os valores que utilizei durante este artigo, em relação à compra de equipamento, foram os mais elevados possíveis pelo que, é bem possível que possa fazer a "festa" com menos do que eu mencionei. No caso de lhe pedirem mais do que os valores que mencionei, aconselho-o/a a consultar outro local de venda.
Se pretender fazer uma época de repouso prolongada lembre-se de, trocar as crias de uma ronda não por uma saca de comida mas sim por duas!