30 de out de 2010

A MUTAÇÃO ARCO-ÍRIS


 nome "Arco-Íris" foi usado pela primeira vez pela Quinta/Aviários Keston, em Kent no Reino Unido. Este termo foi usado, simplesmente para descrever uma ave possuidora de muita cores vivas. Estas aves pertenciam à linhagem dos faces amarelas/douradas opalinos asas claras/cinzentas, das espécies azuis ou cobalto. Foi a esta ave, particularmente colorida que se designou chamar o Periquito Arco-Íris.
Sendo assim, será legitimo designar o Arco-Íris como uma mutação? De facto, não se trata de uma mutação mas, uma variante particular dos periquitos de face amarela/dourada da linha azul.
Logo, para que seja designado por Arco-Íris, o periquito terá que satisfazer 4 requisitos: 1 - Face amarela, 2 - Opalino, 3 - Asas claras/cinzentas e 4 - Pertencer à linha Azul. Falhando uma destas características, a ave não poderá ser designada por Arco-Íris.
Mesmo assim, muito espaço fica para se encontrarem aves igualmente bonitas. Realmente, o pormenor mais importante nestas aves são as suas cores variadas e a tonalidade azul esmeralda brilhante da plumagem do seu corpo. Por exemplo, neste momento, tenho um casal cujo macho apresenta umas cores vivas e lindíssimas mas, não é opalino. Logo, tecnicamente, não poderá ser considerado um Arco-Íris. Mas, a beleza da plumagem está lá e talvez seja esse o factor mais importante. Quanto à fêmea, ela igualmente uma azul face amarela de asas claras, apresenta umas cores algo mais desmaiadas mas igualmente bonita. Para os puristas, estes dois exemplares podem ser uma excelente base de partida para a obtenção de crias Arco-Íris como explico, no parágrafo seguinte.
Como se pode obter um Arco-Íris
Existem vários processos de combinação de mutações para se obter um casal de aves, capazes de produzir crias Arco-Íris. Uma das formas será começar com um macho azul opalino acasalado com uma fêmea azul de asas claras. Depois, outro casal formado por um macho azul de asas claras com uma fêmea azul de face amarela. Algumas das crias provenientes destes dois casais, quando acasaladas no ano seguinte, poderão produzir crias Arco-Íris.
De seguida, alguns casais que poderão gerar crias Arco-Íris:

MACHO FÊMEA
1.Azul Face Amarela de Asas claras / Opalino *x Azul de Asas Claras
2.Azul Opalino de Asas ClarasxAzul Face Amarela de Asas Claras
3.Azul Face Amarela / Opalino *xAzul de Asas Claras
4.Azul de Asas claras / Opalino *xAzul Face Amarela / Asas Claras **
Notas:* Ave portadora de Opalino   ** Ave portadora de Asas Claras
O mais importante será sempre tirar o maior prazer da criação de uma ave. Deixemos as classificações puristas para as pessoas que já não conseguem tirar prazer de uma simples eclosão, seja qual for a ave dali advirá. Em baixo, publico as fotos dos meus "Arco-Íris", quero dizer, dos meus Azuis de Face amarela e Asas Claras.



Fêmea à esquerda e Macho à direitaFêmea à esquerda e Macho à direita
A técnica está explicada. Mãos à obra. Vamos criar Arco-Íris. De caminho criem outras aves e desenvolvam a paixão que já têm pelas mesmas. Já agora, juntem-se à Irmandade


Piriquito = Herança Ligado ao Sexo

Herança Ligado ao Sexo

O conhecimento da Herança Ligada ao Sexo é fundamental para o criador de periquitos, uma vez que hoje se sabe a importância que ela exerce no tamanho e qualidade das penas. Fatores como opalino e asa canela são usados com o intuito de correção e melhoria das penas. No periquito australiano a Herança Ligada ao Sexo rege o acasalamento para os fatores: opalino, asa canela, lutino, albino, e lacewing (asa rendada). Assim, neste artigo, quando dermos um exemplo de qualquer dos fatores acima, ele é igualmente válido para os outros fatores. Na Herança Ligada ao Sexo, o Gen que determina um fator, se encontra no cromossomo que vai determinar o sexo do descendente, daí o nome. A representação usada na Herança Ligada ao Sexo é:

XX - representa o cromossomo do sexo masculino;

XY - representa o cromossomo do sexo feminino;

Assim, todo cruzamento ligado ao sexo será representado da seguinte forma:

XX (macho) x XY (fêmea)

Obs; O símbolo Y na fêmea, significa ausência de gens determinantes da característica. Assim sendo, ele determinará o sexo feminino do descendente, porém não vai determinar os fatores opalino, canela, inos e rendados. Como já visto no artigo anterior, aqui também temos que ter em mente que o gameta (óvulo ou espermatozóide) quando for formado terá apenas a metade dos cromossomos, assim sendo:

periquito macho XX produzirá dois tipos de gametas XX (teremos espermatozóides com símbolo X)

periquito fêmea XY produzirá dois tipos de gametas XY (teremos óvulos com símbolo X e símbolo Y)

Como já dito anteriormente, os fatores ligados ao sexo vão ter os gens apenas nos cromossomos X e não vão existir no cromossomo Y. Assim, as possíveis representações nos cromossomos, vamos convencionar da seguinte forma:

X'op (cromossomos X portando o gen determinante do fator opalino)

X'can (cromossomos X portando o gen determinante do fator asa canela)

X'ino (cromossomos X portando o gen determinante do fator INO)

X'lw (cromossomos X portando o gen determinante do fator Lacewing/rendado)

Neste ponto podemos chegar à conclusão fundamental e que deve ser guardada por todos; na Herança Ligada ao Sexo em periquitos australianos, para que o macho mostre o fator, é necessário que ele esteja presente em ambos os cromossomos. Já para a fêmea ele necessita estar presente em apenas um dos cromossomos (no caso o X). Assim, os machos poderão ser portadores (split) para um fator ligado ao sexo, ao passo que as fêmeas jamais serão portadoras (split). Exemplificando:

XX - macho normal

X'X (op) - macho portador de opalino

X'X' (op) - macho opalino

XY - fêmea normal

X'Y (op) - fêmea opalina

Obs; os gens determinantes dos Fatores Ligados ao Sexo podem estar presentes nos cromossomos em números variados, por exemplo:

X'' (op, can) cromossomos com genes para opalino e canela;

X'' (op, ino) cromossomos com genes para opalino e INO;

X''' (op, can, lw) cromossomos com genes para opalino, canela e lacewing;

Também quando pensamos no genótipo dos indivíduos, poderemos ter uma variação enorme:

X''X' (op, can) (ino) - macho portador de opalino canela e Ino;

X'''X (op, can, Ino) - macho portador de opalino, canela e Ino;

X''Y (op,can) - fêmea opalino canela

X''Y (op, Ino) - fêmea opalino Ino (Lutino ou Albino), etc...

Para finalizar, resta-nos saber, como devemos proceder com os acasalamentos, e até devemos apenas aplicar o que vimos anteriormente. REPRESENTAÇÃO DE UM ACASALAMENTO USANDO A HERANÇA LIGADA AO SEXO:

Macho XX x Fêmea XY = (50% de indivíduos machos, e 50% fêmeas)

Exemplificando um acasalamento com vários Fatores Ligados ao Sexo:

Macho opalino lutino e split de canela X Fêmea canela

X'''X'' (op, lut) split (can) XY' (can)

Filhotes:

X''' X' Macho canela, split de opalino e lutino;

X'''Y Fêmea opalino, canela e lutino;

X''X' Macho split de opalino, canela e lutino;

X''Y Fêmea opalino e lutino.

Regras para exposições com Periquitos Ondulados

Nas exposições as aves são julgadas de acordo com o standard, ou seja a ave ideal. No caso dos Periquitos existe um standard geral onde se destaca a forma geral da ave e existem standards de cor, definidos para cada variedade. As aves são julgadas por diversos grupos numa escala de 0 a 100, atribuindo-se medalhas de ouro, prata ou bronze para os primeiros, segundos e terceiros lugares, respectivamente, dentro de cada classe, podendo ser também atribuídos prémios para as melhores aves da secção, neste caso de Periquitos Ondulados.
Existem dois métodos de julgamento para Periquitos Ondulados. Um é feito através de atribuição de pontos segundo normas estabelecidas para cada variedade. É usado em exposições organizadas pela C.O.M.. Outro método utilizado, é o método de comparação em que as aves são comparadas por classe e atribuídas classificações. Os primeiros classificados de cada classe são comparados entre sí e escolhidas as melhores aves da exposição.
Em Portugal e na grande maioria das exposições, expõem-se os Periquitos Ondulados em gaiolas de madeira segundo as normas estipuladas pela W.B.O.. Neste sítio existe um artigo onde se mostram estas gaiolas de exposição.
As classificações de acordo com a WBO
Nas exposições em Portugal seguem os critérios da COM. Dada a falta de informação disponível desses critérios, indico os mais importantes da WBO que é a entidade internacional mais competente no caso dos Periquitos Ondulados, não devendo as diferenças ser muito significativas relativamente ao standard. No entanto, em termos de classificação das aves, as coisas são muito diferentes, já que às aves não são atribuídos pontos, sendo a sua classificação feita apenas por comparação, havendo o 1º, 2º, 3º, 4º lugares, até ao ultimo, em cada secção. Existem outros prémios escolhidos a partir dos primeiros lugares das respectivas secções, como por exemplo, o melhor Spangle, e outros como o melhor pássaro da exposição o melhor pássaro do sexo oposto ao do melhor pássaro, o melhor pássaro do ano, etc..
Atribuição de pontos
Nas exposições onde se julgam os Periquitos de acordo normas da COM, as pontuações atribuídas aos Periquitos são feitas através 5 grupos principais, sendo no primeiro incluídos a condição, tamanho e posição, no segundo a forma e tamanho da cabeça, no terceiro a máscara e spots, no quarto a cor e no quinto as marcas especificas de cada variedade.
Para o primeiro grupo reservam-se 35 pontos, para o segundo 15, para o terceiro e quarto 10 pontos e para o quinto 30 pontos, perfazendo 100 pontos.
Existem algumas excepções de acordo com algumas variedades.
Na primeira excepção estão incluídas as variedades sem spots, como o caso dos albinos e lutinos, spangles de duplo factor ou brancos e amarelos de olhos pretos. Nestes casos as pontuações dos últimos dois grupos são trocadas ficando a cor a valer 30 pontos e 10 as marcas da variedade. Nas variedade Malhada Recessiva, o grupo marcas da variedade inclui o contraste das cores e a percentagem das marcas nas asas e nas variedades de poupa, o mesmo grupo incluem os pontos pela forma e qualidade da poupa.
Factores penalizantes
Indicam-se aqui alguns factores penalizantes.
Condição: ave sem plumagem completa e uniforme, muito magra ou muito gorda, ou embolada.
Fleck: a fronte da ave com pintas ou manchas, sem ser totalmente amarela ou branca.
Spots: Nas variedades com spots, o seu tamanho reduzido, a sua má disposição na máscara ou falta ou excesso.
Rémiges: a não existência das 7 penas.
Faltas inerentes: cauda caída, pescoço estreito, mau porte, asas cruzadas, etc..
Faltas temporárias: falta de spots, manchas de sangue, etc..
Cor: diluição da cor abaixo do definido nos standards ou outra diluição não permitida nos standards.
Factores desqualificantes
Indicam-se aqui alguns factores que podem levar à desqualificação de uma ave.
Doenças: as aves que apresentarem sintomas de doenças ou existência piolhos deverão ser isoladas e removidas da exposição.
Penas compridas: as aves com as rémiges ou penas da cauda desproporcionalmente compridas em relação ao corpo.
Deformidades: as aves que apresentem deformidades deverão ser desqualificadas para que os criadores sejam desencorajados de as criar.
Faltas ou defeitos confinados a certas variedades
Existem faltas que são especificas da variedade ou cor de cada ave, levando a penalizações nos julgamentos.
Opalinos: ausência da cor do corpo nas asas, a cor das costas diferente da do corpo e marcas escuras dentro da area «V», bem como riscas escuras na cabeça ou na nuca, ou ainda a variação na cor sólida das penas da cauda.
Canelas e Asas Cinzentas: aves cuja diluição da cor do corpo seja superior a 50% das aves normais.
Rémiges Claras: a ausência da mancha da nuca, diversas malhas no corpo ou a existência de penas pretas nas rémiges.
Arlequins Recessivos: Marcas nas asas inferiores a 10% ou superiores a 20%.
Amarelos e Brancos de olhos pretos: qualquer marca que apresentem.
Face Amarela: A mistura de amarelo com a cor do corpo.
Lacewing: Marcas incompletas de canela ou algum tom de verde ou azul no corpo.
Fallow: completa ausência de cor do corpo.
Atribuição de prémios
Segundo as regras da COM para exposições internacionais, a pontuação mínima para atribuição de um 1º, 2º ou 3º numa exposição é de 90 pontos, podendo-se fixar para o 3º prémio um mínimo até 92 pontos, para o 2º um mínimo de 93 pontos e para o 1º prémio um mínimo de 94 pontos. Para equipas a pontuação mínima para atribuição de prémios é de 360.
Assim, se numa classe a pontuação máxima das aves a concurso for de 89 pontos, essa ave não terá direito a qualquer prémio.
Os campeonatos nacionais regem-se pelas regras da COM, enquanto que para as exposições locais e regionais as Federações Nacionais estipulam as pontuações mínimas para atribuição de prémios de 88, 89 e 90 pontos respectivamente para os 3º, 2º e 1º lugares.
Secções e Classes
A lista de classes de exposições usada em Portugal é a lista oficial da C.O.M.. Nela, os Periquitos Ondulados têm uma secção própria, a «I». Em 2007 foi decidido incluir nas exposições os Periquitos Ondulados Ancestrais. Nestas secções só são admitidas aves com as características iguais às dos Periquitos selvagens, com excepção da variedade. Assim qualquer ave que se suspeite que tem tamanho superior a esses Periquitos será desclassificada, pretendendo-se que não seja usada por Periquitos «Ingleses» de má qualidade. Assim, a secção tem duas grandes divisões, a «I1» para os «Periquitos Ondulados de Porte e Posição» e a «I2» para os «Periquitos Ondulados de Cor». Esta secções estão dividida em diversas classes que compreendem todas as variedades reconhecidas individualmente e em equipas de 4 aves. As aves de que se fala neste sitio são as englobados na secção «I1», onde estão efectivamente os Periquitos de qualidade e a qual se tenta melhorar. A secção I2 não existe nem faz sentido nas melhores exposições que se fazem na Europa.
Nesta secção podem ser inscritas aves, do próprio criador, do ano e do ano anterior, uma vez que estas aves atingem o seu tamanho máximo após os 12 meses. Nestas classes, as aves são expostas em gaiolas, individualmente ou em equipas de 4 indivíduos. As equipas são constituídas por 4 aves idênticas, sendo premiadas pela harmonia do conjunto. Assim, tomando como exemplo a classe I1-11, onde são permitidas aves verdes ou azuis apenas com factor escuro, numa equipa só poderão ser apresentadas 4 aves Verde Escuro ou 4 aves Verde Azeitona ou 4 aves Azul Cobalto ou 4 aves Azul Malva e não uma mistura destas cores.
Por outro lado, na filosofia das classes está implícito que as classes iniciais apresentam poucas variedades, enquanto que nas ultimas estão incluídas aves com um conjunto grande de variedades, mas apenas as que são indicadas em cada classe.
Classes de Periquitos Ondulados
Secção I1—Periquitos Ondulados de Porte e Posição
ClasseDescrição
I1-1Equipa de 4 Normais Verde Claro
I1-2Individual Normais Verde Claro
I1-3Equipa de 4 Normais Azul Celeste
I1-4Individual Normais Azul Celeste
I1-5Equipa de 4 Normais Verde Cinzento (Incluem apenas os Verde Cinzento com ou sem factor escuro)
I1-6Individual Normais Verde Cinzento
I1-7Equipa de 4 Normais Cinzento (Incluem as aves apenas com as variedades azul e cinzento, com ou sem factor escuro)
I1-8Individual Normais Cinzento
I1-9Equipa de 4 Normais Ardósia (Incluem as aves apenas com a variedade Ardósia (Slate) que podem ter o factor azul)
I1-10Individual Normais Ardósia
I1-11Equipa de 4 Normais série Verde ou Azul com factor escuro, simples ou duplo (Incluem aves apenas com o factor escuro, podendo ter o factor azul)
I1-12Individual Normais série Verde ou Azul com factor escuro, simples ou duplo
I1-13Equipa de 4 Opalinos série Verde (incluindo factor escuro)
I1-14Individual Opalinos série Verde (incluindo factor escuro)
I1-15Equipa de 4 Opalinos série Azul (incluindo factor escuro)
I1-16Individual Opalinos série Azul (incluindo factor escuro)
I1-17Equipa de 4 Normais Canela série Verde (incluindo factor escuro)
I1-18Individual Normais Canela série Verde (incluindo factor escuro)
I1-19Equipa de 4 Normais Canela série Azul (incluindo factor escuro)
I1-20Individual Normais Canela série Azul (incluindo factor escuro)
I1-21Equipa de 4 Opalinos Canela série Verde (incluindo factor escuro)
I1-22Individual Opalinos Canela série Verde (incluindo factor escuro)
I1-23Equipa de 4 Opalinos Canela série Azul (incluindo factor escuro)
I1-24Individual Opalinos Canela série Azul (incluindo factor escuro)
I1-25Equipa de 4 Face Amarela das classes 1 a 23
I1-26Individual Face Amarela das classes 1 a 23
I1-27Equipa de 4 Asas Claras (incluindo Opalinos) ou Arco-íris (incluindo Face Amarela de Asas Claras)
I1-28Individual Asas Claras (incluindo Opalinos) ou Arco-íris (incluindo Face Amarela de Asas Claras)
I1-29Equipa de 4 Diluídos (Amarelos ou Brancos) e Asas Cinzentas (Normais ou Opalinos) (incluindo Face Amarela Diluídos ou Asas Cinzentas série Azul)
I1-30Individual Diluídos (Amarelos ou Brancos) e Asas Cinzentas (Normais ou Opalinos) (incluindo Face Amarela Diluídos ou Asas Cinzentas série Azul)
I1-31Equipa de 4 Fulvos (Normais ou Opalinos, incluindo Fulvos Face Amarela da série Azul)
I1-32Individual Fulvos (Normais ou Opalinos, incluindo Fulvos Face Amarela da série Azul)
I1-33Equipa de 4 Corpos Claros (Easley ou Texas, Normais ou Opalinos) ou Selados (incluindo Face Amarela série Azul)
I1-34Individual Corpos Claros (Easley ou Texas, Normais ou Opalinos) ou Selados (incluindo Face Amarela série Azul)
I1-35Equipa de 4 Inos (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-36Individual Inos (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-37Equipa de 4 Perolados de duplo factor nas séries Verde ou Azul (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-38Individual Perolados de duplo factor nas séries Verde ou Azul (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-39Equipa de 4 Asas de Renda (Normais ou Opalinos, incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-40Individual Asas de Renda (Normais ou Opalinos, incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-41Equipa de 4 Arlequins Recessivos ou Amarelos ou Brancos de olhos escuros (Normais Canela ou Opalinos, incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-42Individual Arlequins Recessivos ou Amarelos ou Brancos de olhos escuros (Normais Canela ou Opalinos, incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-43Equipa de 4 Arlequins Dominantes ou Continentais (Normais, Canela ou Opalinos, incluindo Face Amarela série Azul)
I1-44Individual Arlequins Dominantes ou Continentais (Normais, Canela ou Opalinos, incluindo Face Amarela série Azul)
I1-45Equipa de 4 Perolados de simples factor das classes 1 a 25 (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-46Individual Perolados de simples factor das classes 1 a 25 (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-47Equipa de 4 com Poupa das séries Verde ou Azul das Classes 1 a 45 (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-48Individual com Poupa das séries Verde ou Azul das Classes 1 a 45 (incluindo Face Amarela da série Azul)
I1-49Equipa de 4 novas mutações em estudo (sem prémios)
I1-50Individual novas mutações em estudo (sem prémios)
Secção I1—Periquitos Ondulados de Cor
ClasseDescrição
I1-1Equipa de 4 Normais Série Verde
I1-2Individual Normais Série Verde
I1-3Equipa de 4 Normais Série Azul
I1-4Individual Normais Série Azul
I1-5Equipa de 4 Opalinos Série Verde
I1-6Individual Opalinos Série Verde
I1-7Equipa de 4 Canelas Série Verde
I1-8Individual Canelas Série Verde
I1-9Equipa de 4 Canelas Série Azul
I1-10Individual Canelas Série Azul
I1-11Equipa de 4 Face Amarela das classes de 1 a 12
I1-12Individual Face Amarela das classes de 1 a 12
I1-13Equipa de 4 Inos, Perolados de Duplo Factor e Amarelos e Brancos de olhos negros
I1-14Individual Inos, Perolados de Duplo Factor e Amarelos e Brancos de olhos negros
I1-15Equipa de 4 Inos, Perolados de Factor Simples Série Verde e Azul
I1-16Individual Inos, Perolados de Factor Simples Série Verde e Azul
I1-17Equipa de 4 Inos, Perolados de Factor Simples Série Verde e Azul
I1-18Individual Inos, Perolados de Factor Simples Série Verde e Azul
I1-19Equipa de 4 Arlequins Recessivos Série Verde e Azul
I1-20Individual Arlequins Recessivos Série Verde e Azul
I1-21Equipa de 4 Arlequins Dominantes ou Continentais Série Verde e Azul
I1-22Individual Arlequins Dominantes ou Continentais Série Verde e Azul
I1-23Equipa de 4 Outras mutações e combinações de mutações
I1-24Individual Outras mutações e combinações de mutações