30 de jun de 2011

Canaricultura para iniciantes

Canários de cor:

Antes de qualquer estudo sobre Canários de Cor é de fundamental importância para o canaricultor iniciante saber o significado de dois pigmentos depositados na penugem; Lipocromo e Melanina.
  • Lipocromo – são pigmentos depositados nas penas de alguns canários ele é dividido em dois tipos; Amarelo e Vermelho. È totalmente absorvido pela alimentação.

  • Melanina – É todo e qualquer pigmento escuro depositado na penugem de alguns canários, ele é dividido em três tipos; Melanina negra, Melanina marrom e Feomelanina.
Começamos a entender sobre canários de cor dividindo 460 cores em dois grupos os da Linha Clara e os da Linha Escura.
  • Linha Clara – É todo e qualquer canário que não possua nenhum tipo de pigmento melânico (preto ou marrom) na envoltura, na estrutura e na sub plumagem.
  • Linha Escura – è todo e qualquer canário que possua algum tipo de pigmento melânico. (preto ou marrom) na envoltura, na estrutura e na sub plumagem.
Entendendo assim, afirmo que existem 36 cores da linha clara que chamamos de canários Lipocrômicos e 424 cores da linha escura que chamamos de canários Melânicos.
Outro ponto importante para que um iniciante é que, ele deve conhecer os três termos técnicos básicos, que chamo carinhosamente de as três Marias – “Categoria”, “Tipo” e “Variedade”. Entenda que o significado das três Marias na Canaricultura é totalmente diferente a que o Aurélio distingue.
  • Tipo – Significa a análise da qualidade, da quantidade e do modo com o que as melaninas se depositam na plumagem e na estrutura dos canários, dependendo de sua cor a intensidade. Ex: Estrias, escamas, envoltura e a cor das patas, pés e bico.
  • Variedade – Significa a análise da qualidade e a quantidade de lipocromo que se depositam na plumagem dos canários.
Obs: Branco e Verde não são Lipocromos, Branco é a ausência de lipocromo e o verde é a mistura do lipocromo amarelo com as melaninas.
Obs: Existe um termo técnico relacionado à variedade dos canários chamado “Cor de fundo” que é nada mais, nada menos que o tipo de lipocromo que podem ser; Amarelo, Vermelho, Branco Dominante e Branco.
  • Categoria – Significa a análise como o lipocromo é depositado na plumagem.
    Veja bem o que um Grande Juiz de Ornitologia em um Campeonato de um certo clube respondeu a um sócio que quis saber porque o seu canário desceu da mesa (foi desclassificado). “- A Variedade deste canário tem boa inserção; apesar da cor de fundo ser razoável; a categoria é muito boa; mas o Tipo deste canário é abaixo de fraco com pouca intensidade”. Deu pra entender porque eu friso tanto as três Marias? Sem elas você estaria totalmente perdido numa explicação dessa, extremamente técnica, que todo juiz ornitológico adora passar desta maneira.
Precisamos entender também a diferença entre um canário Intenso, Nevado e Mosaico.
O canário Intenso caracteriza seu fenótipo pela maior quantidade de brilho e lipocromo em toda sua plumagem, isso se torna possível porque as penas são menores e o lipocromo, juntamente com o fator azul consegue colori-las por inteiro. Afirmo que todo intenso porta Nevado, sendo assim, um cruzamento de dois intensos poderão nascer nevados. O intenso já é um canário com fator sub letal, isso quer dizer que; se voçê acasala dois intensos, os intensos que nascerem são duplo fator, se voçê acasalar este filhote “DP” com outro intenso, a prole terá uma perda ainda no ovo de 50%.
O canário Nevado caracteriza seu fenótipo mostrando claramente uma névoa em toda sua plumagem, ficando assim, com menos brilho e lipocromo que o intenso, isso ocorre devido às penas serem maiores e a quantidade de lipocromo não consegue colorir por total. O nevado não porta intenso, sendo assim, nunca de um acasalamento de dois nevados nascerá um intenso.
O Canário Mosaico tem no seu fenótipo um dimorfismo sexual, isso quer dizer; que voçê distingue o macho da fêmea só olhando, eles têm zonas diferentes de depósito de lipocromo, e são julgados separadamente. O macho deve ter lipocromo no peito, nas pontas das asas, no uropígio e uma mascara. A fêmea só precisa ter lipocromo nas pontas das asas, no uropígio e nas sobrancelhas.

Dicionário Ornitológico

ALELOS - Genes em que se designam os caracteres

AMOSAICADO - Canário nevado com tendência a apresentar marcação de mosaico
ANEL - Abraçadeira inviolável para controle de criação.
AUTOSSOMAL - Mutação independente do sexo dos indivíduos do casal
AUTOSSOMAL - Mutação independente do sexo dos indivíduos do casal.
AVE PRONTA - Ave apta para iniciar o período de reprodução.
BARBAS - Os filamentos localizados de um e de outro lado do raque das penas
BÁRBULAS - Cada um dos pequenos filamentos laterais das barbas das penas
BASTÕES - Localização das melaninas negra e marrom na plumagem do canário
CANÁRIO BORRADO – Canários com manchas pretas nos lipocromicos e manchas brancas nos melânicos.
CANÁRIO COM FATOR – Canários com lipocromo vermelho.
CANÁRIO NORMAL – Denominado ao canário clássico.
CANÁRIO SIMÉTRICO - São canários malhados bicolores, que possuem desenhos simétricos de vários padrões.
CAROTENO - Pigmento de cor laranja ou vermelha.
CAROTENOIDES - Grupo de pigmentos solúveis em gordura, semelhante ao caroteno, tais pigmentos tem sua cor variando do amarelo ao vermelho.
CATEGORIA - Forma pela qual o lipocromo é distribuído na plumagem.
CLOACA - Orifício comum à reprodução e eliminação de fezes, urina e ovos.
CONSANGÜINIDADE - Parentesco de sangue materno ou paterno.
COR DE FUNDO - Termo utilizado para descrever a presença ou ausência de lipocromo
CROMOSSOMOS - Filamentos encontrados nas células, que carregam os genes, responsáveis pelas informações genéticas de um ser vivo.
CROSSING-OVER – processo da meiose onde os cromossomos se dividem entre si.
DESPIGMENTAÇÃO - Ausência de pequena proporção de certo pigmento
DILUIÇÃO - Forma pela quais as melaninas se apresentam em sua intensidade mínima
DIMORFISMO SEXUAL - São diferenças entre machos e fêmeas, visualizadas com uma simples observação dos pássaros.
DOMINANTE - Pássaro de caracteres dominantes às demais cores de fundo.
DORSO - Parte posterior das costas
ENVOLTURA - Define as melaninas dispersas na plumagem do canário, que não estão presentes nos bastões e estrias.
ENZIMAS - São catalisadores de natureza protéica produzida por células vivas.
EPISTÁCIA - Fenômeno pelo qual, um par de genes impõem suas características, inibindo as características de outros.
ESPÉCIE - Conjunto de indivíduos semelhantes no aspecto morfológico, capazes de se reproduzir, gerando descendentes férteis.
ESTRIAS - Localização das melaninas negra e marrom na plumagem do canário
EUMELANINA - Coloração negra ou marrom que se deposita na plumagem, formando os desenhos (estrias).
EUMELANINA MARROM - Pigmento marrom no centro das penas
EUMELANINA NEGRA - Pigmento preto no centro das penas
FATOR - Elemento que concorre para o resultado de uma mutação.
FATOR AZUL – Grande inibidor de feomelanina sendo o principal responsável pelo brilho dos canários.
FATOR LETAL - Os fatores intenso e branco dominante acasalados entre si, morte de 25% dos embriões.
FAUNA SILVESTRE EXÓTICA - Conjunto de espécies animais silvestres introduzidas em uma área onde não existem naturalmente.
FAUNA SILVESTRE NATIVA - Conjunto de espécies silvestres que ocorrem naturalmente em determinada área
FENÓTIPO - características genéticas observadas externamente em um canário
FEOMELANINA - Pigmento marrom que se depositas nas extremidades das penas
FLANCO - Cada uma das duas regiões abdominais, direita e esquerda.
FOB - Federação Ornitológica Brasileira
GENES - Uma parte de um cromossomo que resulta em certa característica.
GENÓTIPO - Conjunto de genes que contém a informação genética completa para se construir um individuo.
HABITAT - Lugar onde um organismo vive.
HARMONIA - Pontuação atribuída aos quartetos, pelo mínimo de diferenças entre os pássaros.
HETEROZIGOTO - Chamamos ao pássaro totalmente portador de alguma mutação não puro.
HIBRIDAÇÃO - É a introdução de um gene de uma espécie, em outra, através de cruzamentos entre aves diferentes.
HÍBRIDO - Pássaro resultante do cruzamento de espécies distintas. Um exemplo é o cruzamento do canário com o Tarim para obtenção do fator vermelho.
HOMOZIGOTO - Pássaro de genes alelos idênticos, pássaro que não porta nenhuma mutação totalmente puro.
INO - Terminologia aos canários albinos, lutinos e rubinos (canários com olhos vermelho, sem eumelanina negra).
INTENSO - Denominação ao canário com lipocromo amarelo ou vermelho, atingindo toda a extensão das penas.
LINHA CLARA – Grupo de canários Lipocromicos caracteriza-se pela ausência total de melanina.
LINHA ESCURA – Grupo de canários melânicos caracteriza-se pela presença de melaninas.
LINHAGEM - Conjunto de pássaros com consangüinidade controlada.
LIPOCRÔMICO - Todo exemplar que tenha a subplumagem branca. Para conferir, devemos soprar e observar a parte das penas próximo a pele.
LIPOCROMO - Define a cor amarela ou vermelha dos canários
LIPOCROMO DOURADO - Lipocromo indesejado, na qual a cor amarela aparece como gema de ovo.
LIPOCROMO LAVRADO - Lipocromo indesejado, na qual a cor amarela aparece muito diluída e fosca.
LUTINOS - Canários amarelos de olhos vermelhos
MELÂNICO CLASSICO – Cor básica da linha escura.
MELÂNICOS – Todo exemplar de subplumagem negra, podendo variar desde o bege bem claro até o negro, passando por várias tonalidades de marrom.
MELÂNICOS ADJUNTOS – Exemplares que apresentam alguma mutação.
MOSAICO - É um canário com Dimorfismo sexual onde o depósito de lipocromo é restrito em áreas específicas da plumagem; máscara facial, ombros, uropígio e peito, fêmeas e machos são julgados separadamente
MOSAIQUISMO - Região de localização de lipocromo nos canários mosaicos
MUDA - Época obrigatória de renovação de plumagem.
MUTAÇÃO - Constituição hereditária com aparecimento de caráter inexistente nas gerações anteriores, pode ser ligada ao sexo ou autossomais.
NEVADO - Lipocromo apenas na metade da pena
NÉVOA OU NEVADISMO - Parte branca, da extremidade das penas, dos canários nevados.
OVO CHEIO - Ovo fecundado
OVO CLARO - Ovo que não foi fecundado
OVOSCOPIA - Ato de examinar ovos em fecundação (sétimo dia) para verificar se estão
OXIDAÇÃO - Forma pela quais as melaninas se apresentam em sua intensidade máxima
PASSE-PARTOUT – Canário verde portador de todas as mutações.
PAULISTINHA - Denominação dada ao ágata vermelho mosaico, em função da semelhança de seu desenho dorsal com as listras da bandeira paulista.
PENUGEM - Primeiras penas que surgem de um pássaro.
PIGMENTAÇÃO - Coloração através de substâncias.
PINDORGA - Canário ruim sem origem definida.
QUISTOS - Pela impossibilidade da pena romper a pele e atingir seu desenvolvimento, fazendocom que ela e algumas vizinhas fiquem abaixo da pele, formações de bolas (caroços).
RECESSIVO - É o fator responsável pela ausência absoluta de carotenóide com inibição total do depósito de lipocromo.
REMIGES - Penas grandes das asas.
RETRIZES - Penas grandes da calda.
ROLLER - Canário de canto melodioso clássico, originário da Alemanha, este canário tem canto mais baixo que os demais, tendo como único item para concurso, o canto.
RUBINOS - Canários de plumagem e olhos vermelhos.
SCHIMELL - Manifestação indesejável de nevadismo em algumas regiões da plumagem dos canários. Característica essa que apresenta desvantagem para efeito de concurso.
SÉRIE - Agrupamento de cores quanto às características lipocromicas e melânicas semelhantes.
SEXO-LIGADA - Denominação à transmissão de uma mutação no cromossomo "X", só o macho porta.
SIRINGE - Órgão interno do pássaro responsável pelo canto.
SUBPLUMAGEM - São as penugens constituídas de penas finas, sedosas, rachões mole e barbas soltas.
TETRIZES - Penas que recobrem todo o corpo do canário.
TIPO - Avaliação da quantidade de melanina no canário. Subdivide-se em Eumelanina e Feomelanina (estrias, bico, pés e unhas)
UROPÍGIO - Região do corpo do pássaro, localizado junto à cauda, onde estão localizados o par de glândulas uropígias.
VARIEDADE - È um termo usado na planilha de julgamento, para definir os valores quantitativos e qualitativos do lipocromo.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário