5 de ago de 2011

Ovo Entalado

Ovo Entalado, como resolver
Antonio Carlos Lemo Método
Brasil Ornitologico Nº 55
Visando transmitir algum conhecimento aos criadores iniciantes ou experientes sobre
problemas comuns a todos nós, publicamos a seguir, dois métodos para resolvermos o
problema com “ovo entalado”.
No Primeiro, trata-se de um método “mecânico”, simples, e conhecido há muito tempo e
que é relatado pelo criador Álvaro Blasina que todos conhecemos e que com certeza é
um especialista em criação de pássaros, e portanto seus conselhos merecem nosso
crédito.
O Segundo, é um método científico, escrito pela Médica Veterinária, especialista em
aves, Dra. Stella Maris Benes que já publicou diversos livros sobre os pássaros, formas
de tratamento etc. e que é muito conhecida e respeitada em nosso meio.
De qualquer forma, acho que todo criador, com certeza deverá tentar usa-los, pois,
parece que o problema de ovo entalado acontece sempre com “aquela” fêmea, de que
tanto esperamos seus filhotes.
“Mecânico”
Álvaro Basina
O tema é muito interessante, pois a cria está começando e os casos de ovos presos
acontecem com relativa freqüência. Permito-me emitir opinião sobre o procedimento
nesses casos.
O ovo preso se deve a uma interrupção no fluxo normal do ovo pelo oviduto. Assim
sendo, por alguma causa fisiológica, a casca fica colada na parede do oviduto, de tal
forma que não consegue fluir normalmente, a canária não consegue botar e acaba
sucumbindo.
O uso de vapor de água é inócuo, pois não se trata de aumentar a dilatação. O uso de
óleo lubrificante pode até ajudar, mas na maioria das vezes não consegue o objetivo.
Quebrar o ovo então em 90% dos casos é fatal. Se a casca trincar, ou vazar o conteúdo
para dentro do oviduto, é infecção na certa e a morte é segura.
O método que mais funciona por incrível que pareça, é o de tentar mecanicamente
desprender a casca do ovo preso, da parede do oviduto. O sistema que Irei descrever
parece inacreditável, mas foi me passado muitos anos atrás, e pude. Comprovar a sua
eficácia na minha criação e com inúmeros amigos que me pediram ajuda em
circunstâncias similares.
Coloque a canária dentro de uma lata ou vidro, tampe e ponha no chão para girar, de
um lado para o outro, várias vezes. Isto fará com que a canária girando, e a clara se
deslocando, faça a força necessária para que mecanicamente o ovo se desprenda. Retire
a canária da lata, e coloque no ninho. Como por arte ou passe de mágica, em poucos
minutos irá botar e ficará como se nada tivesse acontecido. O processo da cria
continuará normalmente, isto é, botará os outros ovos, chocará, etc. etc.
Alguns ficarão céticos quanto a este procedimento, como eu fiquei quando me foi
indicado, mas ele tem um altíssimo grau de sucesso. Boa sorte a todos!
“Científico”
Estella Maris Benez
Quando o ovo chega a colar no oviduto é porque a ave está tentando reabsorver o ovo
que não faz a virada da última hora e não sai.
E o ovo não faz esta virada por infecções, por falta ou falha de absorção de cálcio, por
excesso de postura. Mesmo que o ovo descole e saia fica seqüelas de fraqueza, ou
cicatrizes, ou redução da vida de postura da fêmea, e caso demore a botar, ocorrerá à
mumificação de outros ovos no útero ou postura fora do útero.
Quando isto ocorrer, dê soro Hidraforte no bico ou água de coco direto no bico com
auxilio de cotonete. Dê Calciotrat B12 - 1 gota 4 vezes ao dia - Urgente e mantenha-a
com Macromix na farinhada. Pode colocar Glicerina líquida na cloaca - 3 gotas.
Homeopatia - Pulsatilla nigricans 6CH e Calcarea carbonica 6Ch na água de bebida e
mantenha 5 dias seguidos com o soro e o cálcio na água de bebida.
A ave botará este ovo em menos de 24 horas, de forma segura, sem seqüelas
e sem riscos de vida.
A lata as vezes funciona por simples solução mecânica em alguns casos menos graves
sem mumificação dos ovos ou aderência grave.
Procurem fazer técnicas cada vez mais embasadas e seguras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário